Imunização contra a gripe
UNILUS - Centro Universitário Lusíada
Compartilhar: YouTube Facebook Twitter     Home | Mapa do Site | Identidade Visual | Ouvidoria | Trabalhe Conosco | Fale Conosco
Área Restrita: Aluno  Professor  |Usuário: |Senha:  
UNILUS    CURSOS    CAMPI    ALUNOS    NOTÍCIAS    PROCESSO SELETIVO
Imunização contra a gripe
Você está em: Home >Notícias >Imunização contra a gripe  

Baixada Santista já imunizou quase 500 mil pessoas contra a gripe



05/07/2018 - UNILUS

Cidades como Praia Grande e Cubatão ainda estão muito abaixo da cobertura mínima

Mais de 494,7 mil pessoas já foram imunizadas contra a gripe na Baixada Santista. As cidades estão mais perto de atingir a meta do Ministério da Saúde, de proteger 90% do público-alvo contra os diferentes tipos do vírus Influenza. A campanha continua em toda a região.

Entre as cidades mais próximas de seus objetivos, Bertioga já cumpriu 89,5% da missão, seguida por Peruíbe (88,9%) e Mongaguá, com 86% da meta (que é de 90%). São Vicente e Guarujá afirmam estar a 4% do total.

Cubatão e Praia Grande ainda são as que mais precisam se esforçar para atrair o público-alvo, composto por idosos acima de 60 anos, indígenas e trabalhadores da área da saúde, crianças de até 5 anos de idade, gestantes, mulheres no pós-parto, professores e portadores de doenças crônicas. Agora também podem tomar a vacina as crianças de 5 a 9 anos e adultos de 50 a 59 anos.

Em Praia Grande, de acordo com o Ministério da Saúde, há aproximadamente 72 mil pessoas dentro do grupo que deve ser vacinado. Foram imunizadas cerca de 56 mil (77%).

Por isso o Município está adotando alternativas para aumentar os números de vacinas aplicadas. Um dos destaques fica por conta de ações especiais em escolas municipais.

Em Cubatão a cobertura é ainda menor, de 74,17% entre os grupos prioritários, totalizando 17.327. A meta é de vacinar 23.362 pessoas nesses grupos. A Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Casqueiro continua sendo o local com maior procura, com 3.584 pessoas vacinadas.

Itanhaém, na contramão, afirma ter imunizado sete vezes mais que o previsto. Santos já ultrapassou a quantidade de doses aplicadas recomendadas, mas ainda há parte do público-alvo que precisa de proteção.

Evaldo Stanislau, médico infectologista, explica que quanto maior a quantidade de pessoas imunizadas, maior a proteção para toda a população, mesmo que nem todos sejam vacinados. Isso se chama imunidade de rebanho.

“Quando uma pessoa está infectada, ela somente vai transmitir uma doença a quem seja suscetível. Se grande parte da população está vacinada, matematicamente é menos provável que uma doença circule, pois um percentual significativo da população está imune”.







Fonte:. A TRIBUNA




Voltar




UNILUS - Centro Universitário Lusíada

UNILUS
> Palavra do Reitor
> Campi
> Notícias
> Fale Conosco

CURSOS
> Processo Seletivo
> Graduação
> Pós-graduação
> Extensão

ALUNOS
> Calendário Acadêmico
> Bibliotecas
> Iniciação Científica
> Reemissão de boleto
UNILUS - Centro Universitário Lusíada Colégio UNILUS Fundação Lusíada

© 2012 - 2018 UNILUS - Centro Universitário Lusíada. Todos os direitos reservados