Tríplice Viral
UNILUS - Centro Universitário Lusíada
Compartilhar: YouTube Facebook Twitter     Home | Mapa do Site | Identidade Visual | Ouvidoria | Trabalhe Conosco | Fale Conosco
Área Restrita: Aluno  Professor  |Usuário: |Senha:  
UNILUS    CURSOS    CAMPI    ALUNOS    NOTÍCIAS    PROCESSO SELETIVO
Tríplice Viral
Você está em: Home >Notícias >Tríplice Viral  

Com antecipação de campanha, 20% do público-alvo é imunizado na região



07/08/2018 - UNILUS

Santos, até o momento, teve a maior adesão, com 4.265 doses aplicadas contra a pólio e 4.492 da tríplice viral

As cidades da região anteciparam, no sábado, o Dia D da campanha de vacinação contra a poliomielite e o sarampo. Com isso, ao menos 20% da meta do Ministério da Saúde já foi alcançada na Baixada Santista.

Santos teve maior adesão. Até o começo da tarde desta segunda-feira (06/08/2018), foram aplicadas 4.265 doses contra a poliomielite e 4.492 da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola). O público-alvo é de 17.042 crianças.

Em São Vicente, foram 3.600 doses de cada vacina, perante a meta de 18.501 crianças. Praia Grande imunizou 3.300 de pouco mais de 15 mil.

Em Guarujá, houve 2.920 vacinados, ou 16,98% do público, estimado em 17.422. Em Cubatão, 1.466 (20,72% de 7.075). Itanhaém aplicou 1.025 doses (19,5% de 5.388).

Mongaguá distribuiu 521 doses contra a pólio e 524 doses contra o sarampo (19,2% de 2,6 mil). Em Bertioga, 383 (10,91% de 3,5 mil). Peruíbe vacinou 18,5% de pouco mais de 3,5 mil menores.

No Estado, foram 326.535 doses, ou 15% da meta de 2,2 milhões de crianças. O objetivo é imunizar 11 milhões de pessoas com idades de 12 meses a menos de 5 anos em todo o País. Na região, a meta é atingir 91 mil imunizados.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, não há paralisia infantil em São Paulo faz 30 anos, e desde 2000 não ocorre sarampo originado no Estado. “A vacinação é fundamental para eliminar os riscos da circulação destas doenças”, diz Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria.

A presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Isabella Ballalai, teme o retorno dessas doenças. “Boa parte da população já ouviu falar de poliomielite e sarampo, mas nunca presenciou alguém com essas doenças, que matavam e causavam sequelas nas crianças”.

A vacinação é contraindicada apenas para crianças imunodeprimidas, como aquelas submetidas a tratamento de leucemia e com câncer.





Fonte:. A TRIBUNA




Voltar




UNILUS - Centro Universitário Lusíada

UNILUS
> Palavra do Reitor
> Campi
> Notícias
> Fale Conosco

CURSOS
> Processo Seletivo
> Graduação
> Pós-graduação
> Extensão

ALUNOS
> Calendário Acadêmico
> Bibliotecas
> Iniciação Científica
> Reemissão de boleto
UNILUS - Centro Universitário Lusíada Colégio UNILUS Fundação Lusíada

© 2012 - 2018 UNILUS - Centro Universitário Lusíada. Todos os direitos reservados